Notícias

você está em: home > Notícias

23 de Outubro de 2019 às 15:03

Eletricitários da Energisa-MS aprovam pré-pauta do ACT 2019/2020

Os trabalhadores da Energisa-MS aprovaram a pré-pauta do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2019/2020 em assembleia realizada pelo Sinergia-MS. A votação ocorreu nessa terça-feira (22), no Clube dos Eletricitários, em Campo Grande.

Entre as principais reivindicações da categoria estão o ganho real e a manutenção e ampliação dos direitos previstos do Acordo Coletivo de Trabalho anterior. “Com o resultado que a empresa teve esse ano e com baixo índice da inflação, nós temos condições de lutar para ter ganho real. Se a Energisa está entre as melhores empresas para se trabalhar, temos que ter salários compatíveis com as melhores empresas do país”, avalia o presidente do Sinergia-MS, Elvio Vargas.

A Energisa-MS registrou aumento de 82,8% no lucro líquido no primeiro semestre de 2019. Nos primeiros seis meses do ano passado, foram R$ 90 milhões, no mesmo período deste ano, foram 164,5 milhões, conforme dados levantados pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

 

“Observamos uma evolução muito boa da Energisa ao longo dos últimos três anos. Especialmente nesses primeiros seis meses de 2019, a receita bruta, o lucro líquido, a EBITIDA - que mostra a saúde da empresa - são indicadores que evoluíram muito bem apesar de todos os contratempos que a gente tem observado na economia”, analisa a economista e técnica do Dieese, Andreia Ferreira.

Na segunda-feira (21), foram realizadas as assembleias nas cidades de Aquidauana, Corumbá, Coxim, Dourados, Jardim, Paranaíba, Ponta Porã, Nova Andradina e Naviraí.

A pré-pauta do ACT 2019/2020 será entregue para a Energisa-MS nesta quarta-feira (23). A partir da semana que vem, as equipes do Sinergia-MS vão percorrer as cidades do interior para o lançamento da Campanha Salarial 2019/2020.

Confira abaixo as reivindicações:

RESUMO DA PRÉ-PAUTA DO ACT 2019/2020

- Ganho Real

- Manutenção/Ampliação dos direitos adquiridos

- Transporte para todos os trabalhadores (Almoxarifado, SE Miguel Couto, SE Cuiabá, CO)

- Dupla função fixa específica para as equipes do roço mecanizado

- Dupla função fixa para equipe de transporte do CSE e técnicos de segurança

- Segurança nas agências de atendimento

- Pagamento integral de 100% das horas extras emergenciais

- Pagamento das horas extras noturnas

- Cumprimento integral do acordo de compensação das horas do banco

- Ampliação do programa de bolsa de estudos

- Qualquer alteração nas escalas do COI (COD) somente poderá ser realizada após discussão prévia com o sindicato e aprovação da maioria dos trabalhadores (as)

PLR

Os eletricitários também aprovaram o Acordo de PLR 2019, a ser paga em 2020, pela Energisa-MS. Assim como no ano passado, foram realizadas sete rodadas de negociação.

“O resultado da negociação foi positivo para a categoria porque a empresa estava intransigente em alguns indicadores e nós conseguimos brigar para garantir algo melhor para o trabalhador”, explica o diretor do Sinergia-MS, Gilson Pereira da Silva.

 

Entre as mudanças estão a alteração no cálculo de DEC e FEC com a exclusão de eventos externos que podem comprometer o índice; a alteração de Hora Extra Trabalhada para Hora Extra paga; e o aumento do peso dos indicadores EBITIDA e Opex.

“Foi uma negociação realmente muito batalhada pelo sindicato. Não abrimos mão de analisar e considerar os pesos e valores que foram propostos pela empresa e conseguimos chegar nesse acordo com base no que tínhamos naquele momento e no que consideramos mais adequado e mais próximo para o trabalhador alcançar os indicadores”, esclarece a técnica do Dieese, Andreia Ferreira.

As alterações ocorreram apenas no cálculo dos indicadores. O modelo da PLR, que foi alterado em 2017 para deixar o pagamento mais equilibrado para todos os trabalhadores, continua o mesmo.

Por: Assessoria de Comunicação do Sinergia-MS

Fotos: Adriana Queiroz/Martins e Santos Comunicação

Galeria de Fotos



Copyright 2016 - Sinergia - MS- Todos Direitos Reservados

volta ao topo